;
Acesso direto ao conteúdo

Transformando-se: Saúde e Bem-Estar

 

Desprendimento

© Walther Hermann Kerth

Certa vez um amigo relatou o seguinte episódio vivido quando praticava mergulho autônomo.

A prática do mergulho autônomo (com tanque de ar comprimido) é sempre feita em pares. Isso por uma questão de segurança em qualquer eventualidade de perigo ou falha de equipamento.

Ao retornar da exploração, os mergulhadores devem parar e aguardar alguns minutos em algumas profundidades, para completar o processo de descompressão, caso contrário correm sério risco de morrer por embolia.

Nessa ocasião, havia uma forte tempestade na hora do retorno ao barco. E vários mergulhadores estavam retornando ao mesmo tempo. Enquanto aguardavam a descompressão e a oportunidade de subir ao barco, havia uma corda na qual podiam se segurar para não se afastar do navio enquanto a tempestade balançava tudo.

Agarrado à corda, meu amigo começou a sentir náuseas por causa da oscilação do barco. Foi progressivamente se sentindo pior... Até que seu colega de mergulho conseguiu comunicar-lhe: "Largue a corda! Largue a corda!".

Nesse momento, então, percebeu que estava preso aos movimentos do barco... Ao soltar a corda, retornou ao equilíbrio natural da flutuação, imerso na água.

Conseguir organizar as experiências de vida e nossas memórias de uma forma mais útil e agradável nos proporciona melhores condições de avaliar, compreender e inferir o sentido dos fatos. Não obstante, há momentos em que misturar algumas certezas pode ser bastante oportuno! Pense bem, quando as coisas vão mal, também são as nossas certezas que nos colocam em tais circunstâncias. Nessas ocasiões pode ser de muito valor deixá-las de lado.

Ou, no mínimo, compreender que nossas verdades podem ser extremamente parciais. Válidas apenas em determinadas situações e em algumas épocas.

Largue a corda!

comentários

 

[ Retornar ao Índice ]

Mapa do Portal

mapabeta

\"Retornar