É assim que é, e ninguém nos contou…

Autora: Viviani Bovo

Você já deve ter vivido ou visto algo parecido com isso… uma criança brincando muito entusiasmada com algum brinquedo e de repente esse brinquedo cai para longe dela, a primeira reação dela será de susto e depois de frustração, e se você, estando ali ao lado dela, quiser explicar… “- É a lei da gravidade!”, ainda poderá ver a expressão dela de interrogação, tentando adivinhar o que você quer dizer com isso, que palavra é essa? O que será “gravidade”?

Ela não sabe o que esse “palavrão” significa, e no entanto, desde que foi gerada esteve sob o efeito da gravidade, não tem como escapar dela só porque não conhecido o que significa! A lei da gravidade vai atuar sobre tudo e todos, querendo ou não, sabendo ou não! É assim que é! Interessante não é mesmo? Talvez seja algo que nunca paramos para refletir.

Esse exemplo abre caminho para refletirmos sobre outras coisas tão grandes, importantes, como a gravidade e que ainda, como crianças, podemos não saber que estão por aí atuando.

Como as leis que regem os relacionamentos humanos, em uma camada muito inconsciente e profunda, podemos não saber, mas elas estão aqui agindo, atuando e nos influenciando para algo bom ou para algo ruim. Muitas pessoas nem sabem que tais leis existem, o que podem causar em nossas vidas. Mas elas estão aqui, são do jeito que são, mesmo que nunca tenham nos contado a respeito.

Seres humanos por essência se relacionam entre si, somos mamíferos, não tem como não ser um ser relacional, dependemos uns dos outros desde que nascemos, um bebê não sobrevive se outro ser não cuidar de sua sobrevivência. O que nos une aos outros seres é o vínculo do amor. O amor é como uma “colinha” que nos une aos outros, e que pode seguir por dois caminhos, o amor que cura e o amor que adoece! O que vai diferenciar um do outro são as leis dos relacionamentos, se são respeitadas nos levam para o amor que cura, e não são nos levam para o amor que adoece.

O amor é uma força, uma potência avassaladora, que podemos comparar a força da água. Imagine uma linda cachoeira e depois o riacho que se formará no fluxo dessa água, é uma imagem linda, não é mesmo. Um ambiente desse tem beleza, prosperidade, tem vida. Vamos observar mais de perto… e daí você notará que essa cachoeira tem margens, que esse riacho tem margens, que essas águas correm como direcionadas em um fluxo, sustentadas por essas margens. Isso então é igual ao amor que cura, que traz leveza, beleza, saúde, prosperidade, vida.

Se as margens forem rompidas, como nas enchentes, as águas irão causar destruição e dor, invadindo os espaços onde não deveriam. Quando as margens são destruídas, não são respeitadas, isso será igual ao amor que adoece, que gera destruição e dor.

Então como as águas, o amor precisa das margens que sustente sua potência em um fluxo que segue adiante. E no caso do amor as margens são construídas pelas leis dos relacionamentos, que são três: o direito de pertencer, a ordem e o equilíbrio entre o dar e o receber.

O direito de pertencer: todos tem direito a pertencer ao sistema onde nasceram, ninguém deve ser excluído e tem direito a pertencer com tudo que é seu, com sua história e seu destino.

A ordem: cada um recebe um lugar ao ser gerado e esse lugar deve ser mantido, não devemos ocupar o lugar de outras pessoas da família.

O equilíbrio entre o dar e o receber: entre as gerações os pais dão e os filhos recebem, depois passam adiante quando se tornam adultos. Entre os outros tipos de relacionamento dar e receber como uma troca. Quem dá demais se torna arrogante e tira a dignidade do outro ao não deixar compensar. Quem não quer dar, só quer receber, se torna um peso para o outro, até que o outro não aguente mais e vá embora.

Quando uma ou mais dessas leis não é respeitada então vamos experimentar na nossa vida resultados que não são bons, como sentimentos desagradáveis: medo, angustia, depressão, solidão; doenças, problemas de relacionamentos afetivos e familiares, falta de prosperidade, criar de forma inconsciente eventos que nos levam a resultados desastrosos e que nos afastam de uma vida leve, saudável e prospera.

Essas três leis sempre estão atuando, como a lei da gravidade, independente de sabermos de sua existência, elas estão aqui agindo de forma inconsciente, invisível, mas agindo.

Elas existem e talvez ninguém nunca tenha nos contato antes! Saber, conhecer a respeito é um caminho para criar novos resultados, de mais sabedoria e principalmente de legado para as novas gerações, quando podemos voltar a trazer ordem no que estava fora e ensinar nossas crianças como isso funciona, para que elas também tenham essa sabedoria profunda e colham os resultados de saber aplicar o respeito a tais leis.

Venha conhecer mais a respeito, adquira esse legado de sabedoria para que seja sua herança para as próximas gerações. Ensinamos como lidar com essa camada profunda da vida na nossa Formação de Constelações Sistêmicas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0